26 agosto 2012

Ditadura econômica





Caro Odemar Leotti,


O Brasil avança em marcha rápida para o círculo das economias mais representativas do planeta. Quer e vai se tornar uma nação de primeiro mundo. Seria um momento de orgulho ufanista esse que estamos iniciando, caro amigo e mestre Leotti. …

Mas não a este preço!


 Não quero um Brasil rico, grávido de uma gravidez que parirá uma minoria miserável que será massacrada diante de nossa cara e do silêncio conivente de nossa omissão. 

Para mim, país com economia assim, aleijada e cega, cria um tipo de ditadura econômica amparada pelas classes média e alta que, em sua omissão, legitima ações como a que vimos em Pinheirinhos e em outras cidades que, sem a mesma repercussão, viveram a mesma covardia. 

Essa exclusão feita a baionetas contra os mais miseráveis ainda é pontual (embora sistêmica). Mas nosso consentimento tácito abre caminho para criarmos gulags para confinarmos os miseráveis, enquanto a indústria não construir os fornos como os que os nazistas usaram para incinerar os judeus. 

Há uma ditadura em andamento, meu caro amigo, a pior e mais nefasta, que corrompe, silencia e mata: a econômica.

 Espero que os miseráveis não se deixem abater como esses animais que foram mortos em Pinheirinhos. Espero que o povo brasileiro reaja enquanto há tempo. 

Não é a base de canhão que se resolve a realidade da exclusão social. 

Grande abraço, caro amigo.

(Rio de Janeito, em fevereiro de 2012)

18 agosto 2012

A maconha e a ignorância







A pior das posições que se assume na vida, é a da ignorância.  Opinar por puro preconceito, é assumir essa ignorância.  A maconha não traz mais danos que as drogas que são lícitas, não leva ao uso de qualquer outra droga, mais que qualquer outra o faria.  Por exemplo, mais de 90 por cento dos que experimentaram maconha, usaram antes o tabaco.  É o caso de se proibir o tabaco?  Evidentemente que não.  Um cigarro passaria a custar o equivalente a 2 maços, simplesmente por causa da proibição. Ora, se é assim, e de fato assim é, não faz sentido a proibição que apenas gera lucro para quem vive do tráfico, mortes de inocentes nessa guerra sem sentido contra as drogas, porque o viciado não vai parar de usar nem o ser humano vai deixar de experimentar apenas porque é proibido.  Libere.  Tire o dinheiro da proibição que hoje financia os fuzis do tráfico. Depois, faça campanha educativa, como foi feita contra o tabaco.  Enfim, não sejamos escravos da ignorância.

Prisões são esgotos sociais






Da mesma forma que governos não gostam de fazer obras de saneamento porque esgotos ficam sob a terra e são obras que com o tempo caem no esquecimento do eleitor quem as fez, as prisões, esgotos sociais que são, por não darem retorno em votos, não são olhadas com a prioridade com que reclama o caos em que se encontra o sistema prisional brasileiro.

 Ocorre, que este é um tipo de dejeto que vai voltar um dia...

16 agosto 2012

Sem duelos no STF...





Tudo ao vivo e a cores direto da Suprema Corte, ontem, durante a apreciação das liminares na Ação Penal 470, também conhecida por “mensalão”,  em curso no STF, lá pelas tantas,  em tema em que o Ministro Joaquim Barbosa se sentira atingido por ter sido rotulado como parcial nas alegações finais de um dos réus, aquele ministro afirmou que “havia má-fé” do causídico e um conluio que envolvia outras partes e até a defensoria pública da união, e que essa ameaça feita por uma “guilda profissional” se estendia ao Tribunal.  

O Ministro Marco Aurélio disse que ele não se sentira atacado pelas ofensas, ao que, de imediato, o ministro relator afirmou que “Vossa Excelência talvez faça parte...”.  Essa adjetivação, abafada pelo clamor de várias vozes sobrepostas, parece não ter sido ouvida pelo Ministro Marco Aurélio (que não é de deixar barato provocações), o que certamente levaria a nova proposta de “duelo” entre os dois, como já ocorreu no passado. 

Mas daqui, curioso como eu só, e sem pudor de revelar minha ignorância, como não conhecia a pérola fui procurar saber o que era “guilda”.  O Aurélio Online revelou: “GUILDA:     1. Na Idade Média, organização de mercadores, de operários ou artistas ligados entre si por um juramento de entreajuda e de defesa mútua (séculos XI-XIX).      2. Associação privada, de interesse cultural.”

Está aí!  Momentos culturais da Suprema Corte...

07 agosto 2012

Porquê a direita odeia Che?







Impossível fazer um elogio a Che Guevara, por mais singelo que seja, sem despertar a fúria da direita histérica.  Mas descobri a razão do ódio.  A direita é órfã de heróis...

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...