31 maio 2012

A última trincheira...










A trincheira da Democracia são as redes sociais








Se tenho alguma esperança de democracia na informação, é por existirem redes sociais agora. Cada computador, cada tablet, cada smartphone, se tornou uma trincheira, de onde a Democracia pode e deve ser defendida por cada um de nós.

29 maio 2012

Palavras...






















Palavras...

Um dia nossos passos
não ecoarão mais nas calçadas,
nem nossa voz será soprada
pelo vento sul.

Mas algumas das palavras nossas
viverão ainda,
em outras vozes,
em outros corações,
em outras dores e amores,
em outros encantamentos,
a tentar vencer o tempo...

(Paulo da Vida Athos)

28 maio 2012

Em ti...










Em ti...




Neste teu corpo,
meu porto, e abrigo
em que amarro os laços
de minha vida sem rumo;

Neste teu corpo,
regato e remanso,
que em toques mansos
eu tomo e me entrego;

Neste teu corpo,
universo e mistérios
que redescubro
ao sabor dos desejos;

Neste teu corpo,
que é luz de meus passos,
que num abraço de amor
me ilumina;

Neste teu corpo
onde correm meus lábios,
descobrindo
vales e rios de sonhos;

Neste teu corpo,
Ah!
Quão louco me sinto
quando o pressinto
assim ao meu lado;

Neste teu corpo,
menina-mulher,
de doidos carinhos,
de mil  sensações;

Neste teu corpo,
mulher, tão menina,
que me alucina
em mil contrações;

Neste teu corpo
que é céu de meu vôo,
é onde encontro
razão de existir...

(Paulo da Vida Athos)

09 maio 2012

Ser Botafoguense...




Ninguém é botafoguense por acaso, ninguém escolhe o Botafogo para torcer.

Facilmente se reconhece o torcedor alvinegro: é gente boa, simpático, cativante, não perde a altivez e a paixão pelo clube da estrela solitária, nem nos momentos mais dramáticos.

O botafoguense é, acima de tudo, um lorde.

Pode ser numa cobertura da Vieira Souto ou numa laje no morro da Favela, a favela mãe de todas as favelas, sua  casa é sempre um Itamarati e, nela, nunca falta a bandeira da estrela solitária que brilha no escudo eleito como o mais lindo do mundo!

O alvinegro ama torcer, ama seu clube, ama seu time, e está com ele, na derrota ou na vitória, pro que der e vier.

Isso porque quem é botafoguense, sabe que apenas por isso já é vitorioso.

Afinal, nem é pra menos!

A gente não escolhe o Botafogo para torcer, o Botafogo escolhe a gente.


A gente não elege o Botafogo para torcer: a gente nasce botafoguense!

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...