05 setembro 2010

Golpe sempre foi coisa de tucano






Vazamento na Receita Federal, mais um golpe tucano

Por Paulo da Vida Athos.

Contra fatos, não há argumentos. Depois de implementar mais um golpe contra o governo popular de Lula, que tem em Dilma Rousseff sua continuidade, a oposição, apoiada na mídia golpista, leva mais um passa fora do povo: Dilma seria eleita hoje, no primeiro turno. E com 56% dos votos válidos.


Se falo do golpe midiático é em forma de desabafo, vez que, sei, esse trem impulsionado por milhões de brasileiros que foram e são os beneficiários do governo Lula, não tem como ser parado. Desde o primeiro grito, lá atrás no tempo, afirmando que o “povo não é bobo” e “abaixo a Rede Globo”, o povo amadureceu, meu caro.

A mídia sempre esteve onde o povo não está, essa é a verdade, por isso e cada vez mais é desmascarada e cai feio do cavalo.

Apoiada pela mídia – que é de fato a verdadeira oposição à Lula - PSDB, DEM e outros partidos que se viram órfãos das tetas da viúva, ao longo dos últimos anos criaram pelo menos uma CPI por mês e pelo menos uma a cada período era transformada em palco e palanque político contra o governo popular de Lula. Então, nesses circos pra lá de manjados, desferiam toda a sorte de ataques contra Lula, em um rosário de ofensas e impropérios, injúria, calúnia e difamação, que iam sendo repetidas como um disco aranhado, uma após outra, mas sem encontrar eco no povo.

Desavergonhadamente falaram até em impeachment, sem medir as consequências do absurdo. Ao longo do governo Lula, essa foi a tônica: criação de CPI e de factoides. Só para relembrar, citarei algumas: CPI da Petrobrás, do Mensalão, do MST, dos Correios, dos Sanguessugas, e por aí vai...

Quanto aos factoides, também não foram poucos. O penúltimo foi o do “Dossiê Tucano”, em 2006, quando Lula seria reeleito no primeiro turno, com folga, mas o tal dossiê jogou para o segundo turno a vitória do povo contra a mídia, e Lula foi reeleito. Agora temos o da “quebra do sigilo fiscal filha do Serra”. Existe um elo que liga esses dois factoides: ambos foram criados exatamente no momento em que a vitória do povo brasileiro se apresenta acachapante. Em 2006 com Lula, hoje, com Dilma.

Independente de tudo isso, a cada pesquisa nos últimos sete anos a aprovação ao governo apenas foi aumentando. Dia após dia, CPI após CPI, e, quanto mais apanhava, mais o governo Lula era apoiado pelo povo. Após cada ataque desesperado da mídia golpista e de políticos idem, Lula saia fortalecido.

A coisa funciona mais ou menos assim: a revista Veja, assim como o jornal O Globo e os grupos Estadão e Folha, dão pontapé inicial. Depois a Rede Globo, a vagaba platinada que foi muito bem recompensada para apoiar os anos mais tristes de nossa história civil, repercute a notícia através de seus telejornais. A partir disso recebe o apoio da Band, Record e outras, que fazem parte da mesma quadrilha que visa roubar do povo seu direito de eleger democraticamente o presidente da República. Creio que existe uma CPI que deve ser feita: a CPI das CPIs e investigar esse bando. A CPI da Veja, da Rede Globo, da Band, da Record... Adoraria vê-los desmascarados!

Lembro em 2005 quando a Veja alardeava que Lula perdera 20 milhões de eleitores, com “base em cálculos feitos” após uma pesquisa do IBOPE e que Serra seria eleito já no primeiro turno. Estavam na verdade já preparando o tal “Dossiê Tucano”, que diriam ter sido feito pelo PT para prejudicar a campanha de Lula. Ou seja, a tal golpe contra Lula já estava previsto um ano antes.

Na verdade, quem está à frente das pesquisas, como acontecia com Lula em 2006 e acontece agora com Dilma, não interessa qualquer escândalo. Um possível vazamento de sigilo fiscal de parente de Serra, nessa altura do jogo, a quem interessaria? A resposta é tão óbvia que apenas demonstra que Serra está muito mal assessorado. Um escândalo desses somente beneficiaria a campanha de Serra, jamais a de Dilma. Dilma está muito à frente de Serra, segundo as últimas pesquisas feitas. Logo, o tal vazamento de dados na Receita Federal, é coisa de tucano, e de tucano, além de criminoso, burro.

Isso dá nojo, meu caro. Desprezo ditadores e ditaduras, golpes e golpistas, de esquerda ou de direita, pois amo a liberdade e a Democracia que, por pior que seja, é sempre melhor que a melhor das ditaduras. Não há ditadura boa. Não há golpista de boa fé que atue contra o estado democrático de direito.

Penso nesse ponto como Dallari: “A preocupação primordial foi sempre a participação do povo na organização do estado, na formação e na atuação do governo, por se considerar implícito que o povo, expressando livremente sua vontade soberana, saberá resguardar a liberdade e a igualdade” (DALLARI, Dalmo de Abreu, Elementos de Teoria Geral do Estado. 20.ª ed. São Paulo, Saraiva, 1998. p.151).

Qualquer coisa que atente contra isso, é golpe. Factoide é propaganda política mal intencionada para manipular a opinião pública através da mídia, e isso é golpe.

E golpe, meu caro, sempre foi coisa de tucano.

Nenhum comentário:

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...