28 abril 2007

O Pintor e a cela (Sol Negro)




















Um sol negro
- eu sei –
Faz da tua vida um ébano.
Se tens que chorar
Ou lutar,
Tu não te apercebes
Enquanto a própria dor,
Vãmente,
Tenta embaciar tua esperança!

Um réquiem pop
- eu sei –
Em surdina faz fundo em tua vida.
Estás perplexo, admirado,
Contemplando o passar do tempo
Transformando o presente em passado
E o passado mais passado ainda.

De repente... pegas no pincel!
No ambiente translúcido
Que te cerca
Crias
Sem negro sol
O azul do céu.

Pronto... completas tua quimera.
No céu abres uma janela
E surge então
O mundo que te foi arrebatado.

Anda!
Transfira teu espírito
A esse mundo
- e eu sei ... –
Sonhando,
Não serás tão magoado.


(Paulo da Vida Athos)
Ilha Grande, 1976.

Nenhum comentário:

Meu filho

Tenho em minha vida o homem mais doce que existe, meu filho. Quem tem a felicidade de conhecê-lo, sabe disso. Um cara amigo, leal, com ...