Hoje é Dia da Justiça! Preparem seus tamborins...



HOJE É DIA DA JUSTIÇA: PREPAREM SEUS TAMBORINS!




Por Paulo da Vida Athos


Hoje é dia 8 de dezembro, data em que se comemora o Dia da Justiça, Dia Nacional da Família, dia que também é o de Nossa Senhora da Conceição. Isso me transporta ao quanto nosso povo é religioso. Gosto de nosso povo cristão, católico, candoblecista, umbandista, kardecista e com outros segmentos mais de religiosidade pungente, tão mestiço quanto nossa gente, que envaidecido chega a afirmar, de forma altiva e parcialíssima que “Deus é Brasileiro!”.

Cada qual em sua religiosidade afirma a bondade de Deus e o maravilhoso pai que Ele é. O Pai do Amor, o Pai da paz, o Pai do Perdão. Somos mesmos abençoados. Também, pudera, com tantos caminhos que temos para nos religarmos a Ele, seria inconcebível um país com menos cataclismos que o nosso e com pessoas melhores que nós, em qualquer recanto dessa terra sem fim. Se os palestinos e judeus que estão se matando no oriente médio tivessem idéia do que acontece no Rio de Janeiro, a convivência mais que pacífica, irmanada mesmo, existente do SAARA (Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega) o maior centro comercial ao ar livre do Estado, diriam que é mentira. Mas não é e como hoje é um meio feriado, vou ler meus jornais.

Logo de cara a matéria sem muito destaque afirma que “peritos e procurador concluem, com base em laudos cadavéricos, que pelo menos duas vítimas foram mortas de forma sumária”. O crime, uma chacina, ocorreu no Morro do Estado, em Niterói, Estado do Rio de Janeiro, e teve como vítimas Wellington Santiago Oliveira Lima, 11 anos, e José Maicon dos Santos Fragoso, 16 anos, e os peritos afirmam que “não têm dúvidas de que os dois foram executados pelos policiais militares”, com diversos tiros disparados à curta distância contra as vítimas. Wellington foi assassinado com um tiro na parte de trás da cabeça, disparado de cima para baixo. “Acreditamos que ele tenha caído e sido colocado de peito para cima pelos atiradores, que dispararam mais três tiros em seu peito”, afirma um policial. O garoto ainda foi atingido num dos braços.

O subprocurador-geral de Direitos Humanos do Ministério Público (MP), Leonardo Chaves, que também analisou os laudos, afirmou que os documentos demonstram uma execução grave. “Há indícios de uma execução”, teria afirmado. Indícios, senhor procurador?

O deputado Geraldo Moreira, presidente da Comissão de Direitos Humanos da ALERJ, afirma de forma a não deixar dúvidas: “-No local da reconstituição, percebi que só há marcas de tiros na direção do local onde estavam as vítimas. Não vi tiros na direção de onde estavam os PMs. Chamei a atenção dos peritos para isso”.

José Maicon foi atingido por um tiro à queima-roupa no olho esquerdo. Há uma fratura no braço esquerdo, que indica que a ainda tentara se defender. “Em tese, o ferimento é apontado como lesão de defesa. Geralmente, a pessoa quando vai morrer, não por troca de tiros, leva a mão à frente do rosto. É um reflexo”, explicou o titular da Delegacia de Homicídios de Niterói, Paulo Henrique Silva Pinto. Maicon perdeu ainda o polegar esquerdo com o disparo, além de ter sido atingido por mais seis tiros nas pernas e costas.

Ainda sem me recompor, em nota de menor destaque leio que uma das participantes do incêndio criminoso no ônibus 350 (Passeio-Irajá), na Penha, na madrugada da última quarta-feira, Sabrina Aparecida Marques Mendes, Brina, 21 anos, a namorada de Lorde, foi presa na favela White Martins, em Brás de Pina. Ela será apresentada às 11h na Delegacia Repressão à Entorpecentes (DRE) de Vila Isabel.

Anderson Gonçalves dos Santos, o Lorde, é apontado pela polícia como o líder da queima do ônibus 350 em que cinco passageiros morreram carbonizados, entre eles Vitória, uma criança de um ano. Lorde foi preso por tráfico de drogas em 1998, em Araruama. Segundo o relatório, ele, que atualmente tem 25 anos, experimentou maconha pela primeira vez aos 17 e começou a andar com amigos que usavam drogas.

Duas chacinas. Duas barbáries. Iguais em seu grau de torpeza e crueldade. As vítimas desse segundo caso morreram queimadas no ônibus em que traficantes determinaram que fosse incendiado e que não deixassem sair os passageiros; as vítimas do primeiro caso, policiais militares passaram fogo.

Aparentemente as duas notícias não têm ligação alguma. Mas só aparentemente. Os dois casos se ligam de diversas formas.

A impunidade é o primeiro e o que fica mais a vista, pois assim quer a mídia. Seu desejo é vender. A tragédia de sangue vende rápida e eficazmente. Se houver alguns aditivos, a venda é ainda maior. Policiais envolvidos, barbaridade, horror, menores, moças bonitas, classe média, tráfico de entorpecentes, etc. Se tem um ricaço envolvido então...

Mas ricaços geralmente não ficam por aí incendiando ônibus ou matando menores a chumbo quente. Preferem as malas e sonegar o fisco... A imprensa não liga muito para isso, só quando quer derrubar algum político que atrapalha o empresário da mídia ou alguma pessoa de seu grupo. Fora isso, noves fora nada.

Não é importante investigar as grandes fraudes contra o sistema fiscal, as burlas que sugam bilhões que não chegam ao erário, ou mesmo algumas que retiram bilhões que lá entraram.

Quem pode sonegar milhões não sou eu e você, não é o jornaleiro da esquina, muito menos essa maioria silenciada e cegada pela mídia que lhe colocou antolhos doutrinando: “-Os culpados de você ganhar essa merreca que está ganhando para ralar em sua semi-escravidão, são esses marginaizinhos aí...”, ou “- Os culpados de não ter feijão e arroz em sua panela, é essa gentalha criminosa que colocamos aqui nessa página, ou no jornal televisivo do horário nobre, mas não se preocupe que vamos depois te recompensar pondo eles na prisão e passando o próximo capítulo da novela”...

Então, não é de se estranhar a histeria presente da população. Esse trabalho de lavagem cerebral através dos instrumentos de comunicação do poder (e me refiro aqui ao poder econômico), atravessou o século passado e desembocou já nesse novo milênio de forma mais insidiosa e violenta.

Na última quadra do século XX conseguiram a burla contra o povo de que iriam resolver o problema da violência e da criminalidade aumentando as penas. Tipo acabar com a fome exterminando pobres. Coisa sem nexo, sem lógica e sem efeito que não seja sua pirotecnia momentânea. Anotem: nessa década ainda pugnarão pela pena de morte e pela prisão perpétua, que é o que falta. O povo, mais uma vez, vai na onda. Onda brava, por sinal. E contra ele. Ou alguém duvida de que a clientela alvo dessas penas não serão justamente, os pobres?

E o que tem isso com as matérias que li nos jornais de hoje? Tudo! Todas as pessoas envolvidas, inclusive os policiais militares, são oriundas dos mesmos bolsões de pobreza! Sem exceção! Foi assim ontem, é assim hoje e será assim amanhã.

Quero ver a mídia investigar seus próceres. Mas isso, só em sonho. A mídia, assim como a polícia, historicamente foram criados por quem está no poder para nele se manter. Fora um ou outro afortunado que ganha uma bolada na mega-sena: o tombo da carruagem não vai mudar. Os pobres ficarão cada vez mais pobres e os ricos cada vez mais ricos, e os criminosos virão do grupo de sempre, dos três pês: puta, pobre e preto. Não necessariamente nessa ordem.

Senhores, a mídia não propagará aos quatro ventos que desde a implantação do plano real, o INPC cresceu 198% ao passo que os combustíveis domésticos (gás) subiram 600,16%, a energia 447%, os combustíveis veiculares 354,32%, os planos de saúde 250,88%, o transporte público 391,84% e as comunicações 694,10%. Muito menos falará que a crise da violência e o aumento da criminalidade deitam aí suas raízes. Some-se a tal as grandes fraudes, as sudenes da vida, que retiram de nossa juventude há décadas a escola, a habitação, a saúde e os sonhos, fica fácil saber de quem somos vítimas. O nome disso: saque! Estamos sendo saqueados de forma avassaladora, mas é preciso que acreditemos nessa história pra boi dormir que vivem nos contando. Somos historicamente as vítimas institucionais e estruturais. Mas somos um povo bom. Pacífico. Quando deixarmos de crer nisso: haverá uma revolução que nascerá da convulsão social.

Quando a cortina da ilusão que nos é imposta, se rasgar de vez e nos colocar cara a cara com a verdade, creio que além de conhecê-la perderemos esse cinismo que nos encapa e tomaremos vergonha na cara: para cobrar!

Isso é uma chacina institucional que mata centenas de brasileiros por dia! Muitos, de fome!

Mas como somos ainda um povo meio homem meio gado, um povo muito temente a Deus (que vive pedindo a Pena de Morte para esses traficantes, bandidos e chacinadores que vemos nos jornais: afinal podemos contribuir aumentando o número de cadáveres e fingir que fizemos alguma coisa), e, principalmente, como hoje é Dia da Justiça, Dia nacional da Família e de Nossa Senhora da Conceição, vou fechar meus jornais e deixar esse assunto bobo pra lá.

Afinal, o carnaval está chegando. É logo depois do Natal e do Ano Novo...

No final, morreremos todos.



http://paulodavida.blogspot.com/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Oração para Oxossi

Juliana Navegante David

Oração para Oxossi